Marcado: colchão

O homem que roubou um colchão

o homem que roubou o colchão

A cena é lamentável e é outra prova do despreparo da polícia. Foi noticiado pelo site do Via Certa Natal. Sábado, fim de tarde, uma ocorrência de roubo de colchão no Via Direta, shopping de Natal, perseguição e logo depois um homem é preso.

O vídeo mostra o suspeito no chão, rendido. Alguém que parece ser um policial com o pé nas costas do suposto ladrão, apontava uma arma de fogo para ele. Isso em plena via pública.

Posava como se o suposto criminoso fosse um troféu, ou um animal.

Minutos mais tarde aparece o patrão do rapaz deitado no chão.

Segundo diz, ele e o rapaz compraram aquele colchão, mais cedo, de outra pessoa nas imediações do shopping. Combinaram um horário para ele pegar o produto, quando foi surpreendido pela polícia.

Ao ficar sabendo, o patrão do rapaz correu para o local e, além de protestar quanto à humilhação e à forma absurda que o “suspeito” estava sendo tratado, contou a sua versão da história.

Falou que o colchão era para um dos seus funcionários, que dormia num apartamento com sete pessoas. Ele tinha pagado R$ 80 por ele.

Admitiu que não deveria ter comprado o produto de um desconhecido, mas disse que era impossível saber se o colchão era roubado ou usado.

Independente de o acusado ser de fato um ladrão ou não, o vídeo é a prova clara de que a lógica da justiça é invertida: no Brasil se é culpado até que provem o contrário, principalmente se você for negro ou pobre.

Gostaria de saber o desfecho do caso e torço para que tanto o policial responsável pela ação como a corporação sejam processadas.

O dever da polícia não é humilhar o cidadão, independente se for bandido ou não, mas garantir que as leis sejam cumpridas.